Buscar
  • Juliana Andriani

Expansão Maxilar: como orientar seu paciente nos cuidados com aparelho expansor fixo

Atualizado: Fev 22

Diante do diagnóstico e indicação da expansão maxilar cabe ao profissional escolher o tipo de aparelho expansor assim como o protocolo de expansão a ser utilizado, certo Claro que a escolha do tipo de aparelho também estará relacionada com a experiência clínica do profissional, além do embasamento científico para escolha do mesmo.

E para mim, quando falamos em pacientes em crescimento, na grande maioria dos casos, a opção acaba sendo o expansor maxilar dentomucossuportado conforme preconizado por Haas.

E diante da escolha do aparelho expansor, quais as orientações repassadas ao seu paciente após a instalação do aparelho?


Entre as orientações mais importantes que devem ser repassadas ao paciente que faz uso de aparelho para expansão maxilar fixo estão os cuidados com alimentação e higiene do aparelho expansor. Além de orientar o paciente quanto às alterações transitórias de fala ou mesmo dor (pressão) no início do tratamento:


Orientações quanto à higiene


A instalação de um dispositivo ortodôntico fixo por si só já pode ser considerada como um fator retentor de placa e, portanto, os cuidados com a higiene devem ser criteriosos durante o uso do aparelho de expansão maxilar e devem ser reforçados no início do tratamento.


As orientações de cuidado para expansão maxilar que sempre repasso aos pais são:

  • Escove os dentes normalmente com escova convencional. De maneira geral escovas de cabeça pequena facilitam o acesso às regiões mais difíceis em pacientes em crescimento.

  • Faça uso do fio dental normalmente mesmo que tenha dificuldade em alguns pontos.

  • Faça bastante bochecho, mesmo com água. A pressão da água durante o bochecho ajuda na limpeza do aparelho expansor. Oriente o bochecho após cada refeição.

  • No caso do aparelho dentomucossuportado (com acrílico no palato), o uso de uma seringa descartável de 5 ou 10 ml pode auxiliar na limpeza conforme ilustrado na imagem abaixo. Peça para os pais encherem a seringa de água e limparem o aparelho com cuidado pelo menos uma vez ao dia.



Outra sugestão seria o uso de dispositivos tipo “waterpick” ou similares para ajudar na limpeza do aparelho expansor.

Uma dica bem útil que aprendi com uma aluna minha foi orientar a limpeza com o “chuveirinho” do box durante o banho. Dica prática e simples que realmente pode ajudar!

Leia também: Elástico separador: Passo a passo para instalação.


Cuidados com a alimentação


Os primeiros dias após a instalação de qualquer aparelho fixo é sempre um desafio para as crianças e pais. Portanto, as orientações em relação à alimentação são importantes para evitarmos transtornos durante o uso do aparelho expansor:

  • Evitem a ingestão de alimentos que possam “grudar” no aparelho e dificultar a higiene, assim como alimentos altamente cariogênicos. Exemplo: docinhos, bolachas recheadas, salgadinhos, balas, pirulitos, chicletes…

  • Reforce que pirulitos e balas tipo soft não devem ser consumidas durante o uso do expansor maxilar fixo.

  • Alimentos “duros” como sementes e grãos devem ser evitados pois seu consumo pode contribuir para falha na cimentação do aparelho expansor.

  • Cuidado especial deve ser orientado em relação ao consumo de pipoca, não somente pelo milho mas também pela “casquinha” da pipoca que muitas vezes fica retida entre a banda e o tecido gengival podendo causar inflamação.


Orientações sobre possíveis alterações de fala na expansão maxilar


As alterações na fala após a instalação do aparelho expansor são comuns e transitórias. Normalmente o padrão de fala se normaliza na primeira semana.


Orientações sobre possíveis sintomas


Talvez essa seja a orientação mais importante a ser repassada após a instalação do aparelho. Os pais ficam mais tranquilos quando sabem o que esperar após as ativações.

É comum relato de pressão na região do nariz, um pouco de sensibilidade nos dentes de ancoragem (apoio do aparelho), ou mesmo pressão no palato.

É raro mas alguns pacientes podem apresentar leves dores de cabeça.

Importante orientar aos pais que DOR não deve ser confundida com pressão. Ao ativar o aparelho no consultório a criança sentirá uma pressão, o que é super comum e esperado principalmente nos primeiros dias.

Agora, se o paciente relatar DOR ao comer ou ao tocar o palato, não realize as ativações, não ignore a DOR. Casos de DOR devem ser avaliados pelo profissional no consultório pois pode ser desde uma inflamação de papila até uma úlcera de mucosa.

Além de passar verbalmente as orientações aos responsáveis, sugiro que as mesmas orientações sejam enviadas por WhatsApp ou mesmo impressas.

Ao preencher o formulário abaixo você consegue fazer download de um arquivo PPTx com as orientações. Esse arquivo pode ser alterado e personalizado para uso em seu consultório. É só baixar o arquivo, colocar sua LOGO, alterar as informações que você achar pertinente e exportar para PDF, assim você consegue enviar facilmente para seus pacientes.

Então, essas são as orientações que costumo repassar aos pacientes, e você? Tem algum outra dica?

Me mande um email para que eu possa ler também suas sugestões (juliana@academiadaodontologia.com.br).

Bons estudos!


Por Juliana Pereira.


Quer receber dicas e atualizações sobre Ortodontia e Ortopedia na dentição decídua e mista? O blog é um canal de comunicação entre eu e você. O que eu penso, como defino o diagnóstico e fundamento meus planejamentos ortodônticos em pacientes em crescimento. Cadastre-se e receba as atualizações semanais!